Os 18 Melhores Livros de Geografia para você ficar craque na matéria

Compreender o mundo é uma tarefa árdua, que cruza muitas disciplinas. Dentro do mundo estão inúmeros mundos, bem como dentro da cabeça de cada um.

Observar a formação, as motivações e relações entre eles é matéria para muita obra, infinitos assuntos, pois dentro de cada disciplina existem indivíduos pensantes com pontos de vista e argumentos próprios.

A geografia é a ciência do planeta, no estudo natural, e do mundo, no estudo dos lugares do planeta, das posições nele. É aí que entram os diversos povos, as regiões, culturas, tensões, combinações e relações, tendências e crises.

Cada cabeça é uma sentença, cada cultura é uma influência. Tem mundo para todo mundo e material para gregos e troianos. Vamos dar uma olhada?

Geografia para além do ensino médio

Esta seleção preparada pelo Mural dos Livros pode clarear suas ideias e entregar o material que você procura. Dê uma folheada!

1. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção, de Milton Santos

livro a natureza do espaco

Para começar, uma lenda no Brasil sobre o assunto. Quem já assistiu uma das entrevistas do mestre, conhece seu calibre. Neste livro, discute o espaço geográfico como relação entre objetos e atos performativos e conflitantes.

Material que enriquece debates, colóquios e ensaios sobre o urbano, o cidadão e a massa.

2. A produção do espaço urbano, de Ana Fani Alessandri Carlos

livro a producao do espaco urbano

Em obra que também pousa o olhar na cidade, a autora busca detalhes e consequência da reprodução do espaço urbano sob aspectos de produção dentro da perspectiva do materialismo dialético.

Assim, os mecanismos econômicos do modelo de produção e desenvolvimento da região atuam sobre a população. De que forma? Vale investigar.

3. Prisioneiros da geografia, de Tim Marshall

livro prisioneiros da geografia

Estudo de geopolítica que apresenta conteúdos excêntricos, como razões e questões que poucos tiveram a audácia ou perspicácia de perguntar. Mas todos em algum momento indagaram algo do tema.

Por exemplo, seria de se indagar o interesse desmedido de Pútin na Criméia? Os problemas eternos do Oriente Médio, as hegemonias e outros tipos problemas e problemáticas que o autor comenta, esmiúça e ilustra numa leitura empolgante.

O que beirava a excentricidade vai se mostrando a revelação de um argumento sobre uma análise naturalista: os aspectos geográficos dos países como fatores determinantes para interesses e conflitos. Recursos naturais, portanto.

4. Geografia do Brasil, de Jurandyr Luciano Sanches Ross

livro geografia do brasil

Livro para o ensino médio organizado para um projeto da Universidade de São Paulo, traz em edição atualizada informações de geografia física, no modelo “tradicional” das escolas, com atualizações e complementos de cunho social-político.

Dos livros didáticos, um guia completo com o fundamental para entendimento das matérias e estudos de base do segundo grau, imprescindíveis à disciplina.

Apresenta ilustrações com dados relacionados e temas concernentes ao preparo para o ensino superior. Recomendado aos professores e estudantes.

5. Os domínios de natureza no Brasil, de Aziz Ab’Sáber

livro os dominios de naturezano brasil

Os espaços do Brasil são esmiuçados e bastante da natureza, com pegada ecológica, é defendida pelo professor e protetor do meio ambiente. Um grande herói nacional com objetivo de melhorar a soberania e a vida dos povos.

O professor Sáber foi um incansável ativista e crítico dos desmandos e maquinações políticas, ficando até o fim de sua vida ao lado do povo e da ciência do Brasil.

Sendo galardoado com três prêmios Jabuti, dois por ciências humanas e um por exatas, deixou um legado que resiste ao tempo.

6. Por uma geografia dos espaços vividos, de Angelo Serpa

livro por uma geografia dos espacos vividos

Indicado para professores e estudantes de ensino superior, o livro concilia fenomenologia e geografia. Paisagem, região, território, lugar – o espaço material e consciente como fenômeno de estar presente, o ser vivente.

Livro que figura como experiência de saber entrelugares, para a criação e pensamento do espaço contemporâneo. Certamente perpassa a ciência natural, da geografia usual. Passa ao especulativo e coteja com a metafísica, transbordando conteúdos.

7. Expedições Geográficas – 7º ano, de Melhem Adas e Sergio Adas

livro expedicoes geograficas

Para o básico e ensino médio, um livro de ampla distribuição, completo para a disciplina, aborda variados aspectos da geografia do Brasil e das divisões político-econômicas.

O livro ideal para aquela prova do Enem ou vestibulares. Traz uma introdução geral dos temas da área como geopolítica.

Neste link, você também encontrará dicas de livros para vestibular. Não deixe de conferir!

8. Por uma outra globalização, de Milton Santos

livro por uma outra globalizacao

Essencial para o início de um entendimento “fora da caixa”, além do Marxismo básico. São diversos os autores críticos do capitalismo e, por extensão, da globalização. A maneira que as informações são distribuídas e contrapostas no livro promovem uma instigante leitura.

Contudo, aqui, o autor cobra a urgência de se organizar o horizonte histórico, definir uma rede de atuação global em torno de saberes que promovam estudos básicos para a manutenção justa do meio. Enquanto houver injustiça haverá conteúdos como este.

Um volume que poderia constar nas escolas da rede nacional, ser indicado por professores como ferramenta para a crítica e mesmo entendimento social, político, humano.

9. Geografia geral e do Brasil, de João Carlos Moreira e Eustaquio de Sene

livro geografia geral do brasil

Mais um livro para ensino desde o médio ao ensino superior, para docentes e discentes. Bem abastecido em temas, imagens, dados e linguagem, com informações do Brasil no aspecto físico, econômico e demográfico. Atualizado e sem ocultar contrastes.

10. O mito da desterritorialização: Rogério Haesbaerth da Costa

livro o mito da desterritorializacao

Assunto complexo e instigante, que é a proposta e análise da multiterritorialização como resíduo da desterritorialização. O conteúdo de viés social procura o lugar de ser dos desguarnecidos, desfavorecidos e desatendidos.

Seu tempo e espaço podem e devem ser discutidos, pois, eles estão em todo tempo presente em espaços periféricos, eles não só como massa, mas como população, cidadão, família, casa, lar. Onde estão os que aqui não deviam estar?

Sobretudo, sobre todos é o lugar do livro falar.

11. Uma história do mundo em doze mapas, de Jerry Brotton

livro uma historia do mundo em doze mapas

Um livro que é quase uma aventura. Pelo planisfério e pela história. O autor escolhe doze mapas, assim chamados – pois considera o Google Earth um mapa, e como não? E abrindo os territórios, contando as narrativas, encontrando pistas e referências, a geografia faz um emocionante papel.

Dentre as questões instigadas pelo autor, a visão e entendimento dos mapas como divisões de quem os produziu e manipulou, como meio de afirmar autoridades e instituições.

Por exemplo, há o mapa de perspectiva cristã e o muçulmano, convenções como “Oriente Médio”, “Indochina” – qual o interesse, por que persiste?

Também traz análises psicológicas como a própria noção de criação e necessidade de demarcar espaços, sejam físicos ou mentais.

E ainda, pelas ilustrações e conjecturas, o mapa se mostra como arquivo de história, instrumento da imaginação do homem que, ao conhecer apenas seu limite local, precisava criar a zona estrangeira, desenhando uma rota ainda puramente imaginada.

Na lista dos melhores livros de história, veja outras histórias fantásticas.

12. Para onde vai o pensamento geográfico?, de Ruy Moreira

livro para onde vai o pensamento geografico

Livro destinado ao estímulo do debate: onde fica a geografia com a fragmentação da visão geográfica comprometida? O que nos cabe orientar aos alunos nos livros didáticos, de ensino médio e de ensino superior? Apresenta problemas de geografia moderna, como a aceleração do sistema, das economias e o encontro da bioengenharia com a biologia molecular.

O professor Ruy Moreira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, conduz tópicos como: Estado x avanço neoliberal, crise ambiental x bioespaço, entre outros. Geografia territorial e política, no ser privado e institucional, presos a movimentos massivos ligados à informação e técnica, praticamente e totalitariamente atrelados ao mercado.

Um livro necessário e atual.

13. Geografia: pequena história crítica, de Antonio Carlos Robert Moraes

livro geografia pequena historia critica

Um livro que não pode faltar na lista, de conteúdo analítico diferenciado. Apresenta temas para a geografia que passa por um processo de transformação no conteúdo, por conseguinte, na didática. Importante para professores se atualizarem e ampliarem seu leque de oferta ao aluno.

O didático é revisto em práticas como a demonstração do espaço, cenário e dados que ultrapassam a pura exibição. Debate-se o equilíbrio justo da sociedade e recursos, a geografia como ciência social, a relação do homem com a natureza.

Questões de fundamental necessidade, que caminham com a sociedade, procuram eco na didática contemporânea, rompendo os limites da disciplina, mas sem escapar ao caráter educativo.

14. A urbanização brasileira, de Milton Santos

livro a urbanizacao brasileira

Mais um que figura na lista dos livros necessários do mundialmente respeitado geógrafo. No ensino, e principalmente nas humanidades, não se pode perder a referência com temas relacionados ao nacional.

Os processos de sociedade, territoriais e econômicos são revistos, em sua organização e tendência estrutrante. Os movimentos de formação de metrópoles e posterior desmetropolização entram na pauta, e revelam problemas para se pensar presente e futuro.

As mudanças urbanas provocam movimentos que usualmente atropelam e deslocam à força os cidadãos despreparados, tal como as crises econômicas e imprevistos políticos. O local de cada um tem sido e até onde pode ser respeitado?

15. Dicionário de lugares imaginários, de Alberto Manguel e Gianni Guadalupi

livro dicionario de lugares imaginarios

Para descontração, este guia é um trabalho de geografia com literatura. Uma viagem por lugares inexistentes no mundo real – porém, muito bem descrito a partir de seu lugar ficcional. Os autores levantaram paisagens, cidades, vilas, ilhas, paraísos, tal como mundos subterrâneos usados em obras famosas e também obscuras.

Visite o País das Maravilhas, o Sítio do Pica-pau Amarelo, Capilária (região das mulheres gigantes) ou Pauk, uma sala habitada por uma aranha de porte colossal. A linguagem empregada trata os locais como se anunciados por uma reportagem real. A história é respeitada e complementa a interação, retratando até os costumes do local.

Até os pratos típicos e peculiaridades da paisagem aparecem, dando o tom de originalidade que brinca com a imaginação do leitor. Um livro proveniente de livros. Divertido para descontrair os alunos do ensino fundamental e médio, excitando a imaginação.

16. A geografia: isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra, de Yves Lacoste

livro a geografia

Tratar da complexidade do espaço é um problema caro aos geógrafos. Os fenômenos relacionados que podemos isolar pelo pensamento, pelas categorias de ciência (demografia, geologia, economia, etc.), são ordenados pelo espaçamento geográfico, sofrendo pressões e constantes tentativas de penetração política, usualmente, contaminando professores.

No presente livro, Yves Lacoste discute a suposta neutralidade da geografia, chamando atenção às consequências possíveis para populações atingidas pela tentativa de organizar seu espaço ou domínio. Há também uma preocupação do autor em conclamar posicionamento dos colegas no sentido de evitar a instrumentalização da geografia pelo aparato do Estado e establishment.

17. Geografia agrária, teoria e poder, de Bernardo Mançano Fernandes, Marta Inez Medeiros Marques e Julio Cesar Suzuki

livro geografia agraria

A globalização atinge não somente as cidades, mas o campo, as aldeias, as florestas, águas e demais biomas. Este livro reúne alguns artigos que analisam contradições e os sujeitos que se envolvem nessas mudanças.

Aborda a ação política, com críticas às teorias, modelos e ideologias de desenvolvimento que respaldam intervenções territoriais.

O livro está organizado em quatro partes, com amplo conteúdo, tratando desde conceitos e políticas de desenvolvimento de teorias e ideologias; às lutas camponesas-indígenas na África e América; o campesinato, a geografia agrária crítica, identidades sociais, democracia e muito mais.

18. Topofilia: um estudo de percepção, atitudes e valores do meio ambiente, de Yi Fu Tuan

livri topofilia

Quando será a vez do meio ambiente? Se olharmos “por cima”, nas prateleiras da loja, encontraremos um bocado de obras relacionadas ao conteúdo. Porém, o sistema de degradação continua, fora das ideias.

O autor procurou dar sua contribuição, pensando em nossas visões sobre ambiente físico, natural e humanizado.

Como o percebemos, avaliamos e estruturamos? Quais são e onde estão nossos ideais para o ambiente? Como a economia, a tecnologia, o estilo de vida e o ambiente físico em si afetam e modelam atitudes e valores? Como observar minha localização nisso?

Um dos melhores estudos do tema, leitura leve para todos que procuram entender a maneira como a “banda toca”.

Para conhecer melhor os direitos civis, você pode dar uma olhada nos melhores livros de direito civil.

Considerações finais

Conforme os diversos livros e conteúdos demonstrados, é possível perceber o tamanho da abrangência e tarefa da geografia na sociedade. Os estudos sociais são responsáveis não apenas por livros didáticos ou técnicos, mas por produzir crítica – constante, insistente, e necessariamente movidos por insatisfação e análise responsável.

O estudo geográfico, além da instituição, é uma disciplina de consciência, portanto, resistência. É uma tarefa que requer empatia e comunicação, tratando das vidas dentro das estatísticas e dados, dos diversos e dos únicos.

Dos sistemas básicos e do geral. Dos três poderes e dos poderes paralelos e ocultados. Do que é de todos e do que é de alguns.

Enquanto houverem lógicas de exploração, injustiça, miséria, invasões, desinformações e inverdades, os cientistas precisam, como conhecedores privilegiados dos números e motivos, aplicar matemática com a razão, inserir o teórico no prático, e produzir trabalhos que contribuam para a evolução da sociedade.

Boa leitura!

Milhares de Livros em Promoções Diariamente na Amazon! Se você ama ler, não pode perder.