Os 12 Melhores Livros de Poesia

Se você gosta de poesias, sabe que é o tipo de leitura agradável e atemporal. Claro, já deve ter ouvido falar de nomes como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa e Ana Cristina César, mas a poesia vai muito além disso.

Sem dúvida, esses nomes consagrados merecem figurar em qualquer lista de melhores livros de poesia (inclusive, estão nessa), porém esse maravilhoso gênero literário não é composto apenas por esses nomes intocáveis.

Há muitos outros artistas que não receberam a mesma projeção que os primeiros e que contribuíram e contribuem para o gênero e a literatura na totalidade.

Confira nossa lista de melhores livros de poesia para começar a ler hoje mesmo!

Saiba mais sobre os melhores livros de poesia

Ficou interessado em saber mais detalhes sobre essas obras antes de conferi-las? Nos próximos tópicos, nos dedicaremos a passar mais informações sobre todos os livros de poesias listados.

Nacionais, estrangeiros, pré e pós-modernistas, ícones consagrados, estrelas em ascensão. A lista é diversa e aborda diferentes estilos e temáticas para garantir diálogo com todos os tipos de públicos.

Confira, nos próximos tópicos, os maiores detalhes sobre cada obra e escolha a que mais tem a ver com o seu atual momento literário e poético. Boa leitura!

1. Sentimento do mundo, de Carlos Drummond de Andrade

livro sentimento do mundo

O mineiro Carlos Drummond de Andrade é considerado um dos maiores poetas do Brasil, apesar de não ter integrado a Academia Brasileira de Letras – por decisão sua. “Sentimento do mundo” se trata do terceiro livro de Carlos Drummond de Andrade, considerado sua obra-prima.

Publicado em 1940 em meio ao maior conflito bélico da história da humanidade – A Segunda Guerra Mundial – o volume reúne 28 poemas de Carlos Drummond de Andrade na qual expressa sua preocupação com as transformações do mundo representadas em grande parte pela ascensão do nazismo de Hitler.

O volume condensa crítica social e sensibilidade, apresentando um Drummond que até então pouco se havia visto. Vale a pena incluir na lista de leitura.

2. A teus pés, de Ana Cristina César

livro a teus pes

Seguindo com a lista de melhores livros de poesia, um livro de poesias mais recente, em comparação ao anterior, mas tão atemporal quanto. Lançado em 1982, “A teus pés” foi o último livro da poetisa brasileira Ana Cristina César.

O volume se trata de uma coletânea de três publicações independentes escritos anteriormente pela poetisa:

  • Luvas de pelica;
  • Correspondência completa;
  • Cenas de abril.

“A teus pés” impacta o leitor apresentando poemas surpreendentemente confessionais e íntimos. Sem dúvida, a autora se entrega nessa obra e revela uma intensidade admirável, mas que no futuro se revelaria nociva até à própria poetisa, infelizmente. O livro foi publicado um ano antes de sua morte, por suicídio.

O leitor se depara com uma escrita arrojada, inventiva e sensível que toca fundo e deixa marca. Uma indelével marca na literatura brasileira, assim como sua vida.

3. Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur

livro outros jeitos de usar a boca

Apesar do nome, Rupi Kaur é canadense, porém nascida na Índia. Ela conseguiu realizar um pequeno milagre no mercado mundial de vendas de livro: se tornar um best-seller mundial.

Mas isso não é exclusividade dela, pois muitos outros conseguiram esse feito. Então por que o dela é considerado de maior importância?

Porque se trata de um livro de poesias, gênero que raramente consegue abocanhar uma posição entre os mais vendidos. Ficar na liderança, então, é considerado algo raríssimo!

Rupi Kaur lançou este livro de forma independente, chamou atenção e em 2014 conquistou reconhecimento mundial como grande poetisa.

Em “Outros jeitos de usar a boca”, Rupi Kaur aborda diversos assuntos divididos em 4 blocos. Trata de traumas, amor, feminilidade, perdas, sexo, sobrevivência. Todo seu talento pode ser comprovado nessa obra onde expõe suas vivências e coração de maneira que só uma autora de grande envergadura poderia fazer.

Faça um bem a si mesmo. Leia Rupi Kaur!

Aproveite para ler também nossa seleção com os melhores livros de romance.

4. Toda poesia, de Paulo Leminski

livro toda poesia

Seguindo com os melhores livros de poesia, “Toda poesia”, do poeta curitibano Paulo Leminski, marcou época por ter apresentado uma reunião de poemas que mistura diversos gêneros e formatos de poesia.

Ao longo da obra, o leitor se depara com versos no estilo haikai, poesia concreta e de estilo satírico. Paulo Leminski representou uma inovação no gênero devido ao seu desprendimento com os formalismos vigentes até então.

Porém, assim como despertou admiração, enfrentou também muita contrariedade e causou um verdadeiro choque no meio acadêmico. Podemos dizer que seu trabalho é mais bem aceito hoje, décadas depois de sua morte, que ocorreu em 1989, do que na sua contemporaneidade.

“Toda poesia” é indicado para os que apreciam um estilo mais moderno e que surpreenda a cada virar de página. Um livro de poema capaz de nos provocar riso e nos levar a reflexões profundas sobre alguns temas. Sem dúvida, um clássico de nossa literatura.

5. Da poesia, de Hilda Hilst

livro da poesia

Sem dúvida, um dos nomes mais importantes da literatura brasileira, Hilda Hist marcou toda uma geração e continuará a deixar sua marca nas gerações seguintes, pois sua imortalidade é inquestionável e “Da poesia” é a maior prova disso.

O volume reúne toda a obra poética da escritora. Isso significa reunir os poemas mais significativos de uma carreira literária de 45 anos e 20 livros publicados. Aliás, carreira na qual se destacou por discorrer sobre temas como morte, amor, erotismo, solidão, o místico, entre outros assuntos tão fascinantes quanto atemporais.

Além disso, a edição reúne cartas de artistas admiradores de seu trabalho e de amigos que tiveram a honra de conhecê-la e acompanhar a sua produção artística.

“Da poesia” certamente é um livro indicado para os que querem ter um primeiro contato com os versos de Hilda Hilst, conhecer os seus melhores momentos antes de se aprofundar em toda sua longeva obra, para muitos, enxuta demais para o seu talento.

6. Poema sujo, de Ferreira Gullar

livro poema sujo

Agora estamos falando de uma obra que alcançou o feito de transformar o cenário da poesia brasileira em plena Ditadura Militar.

Lançado em 1976 com o autor exilado na Argentina, “Poema sujo” impactou pelos versos caudalosos, fruto, sem dúvida, de uma subjetividade fervilhante em razão de tempos sombrios e sufocantes que só um regime ditatorial pode causar.

Ferreira Gullar decidiu escrever “Poema sujo” como uma espécie de “testemunho final” antes que fosse calado para sempre.

Quantos poetas não estarão agora fazendo como Ferreira Gullar, escrevendo sobre o caos do mundo pandêmico como se não tivéssemos a certeza do amanhã?

Ler esse relato de décadas atrás e tão sinistramente semelhante com os tempos atuais pode servir de apoio para esses dias críticos. Talvez seja um dos motivos de se manter atemporal no contexto brasileiro, infelizmente marcado por crises.

De qualquer forma, Ferreira Gullar é sempre uma excelente leitura.

7. Meu quintal é maior que o mundo, de Manoel de Barros

livro meu quintal e maior que o mundo

Seguindo com a seleção de livros voltados para poesias, mais um autor brasileiro se destaca em nossa seleção e, certamente, estamos falando também de um dos mais prolíficos e longevos: Manoel de Barros.

“Meu quintal é maior que o mundo” tem o grande atrativo de reunir os melhores trabalhos do poeta ao longo de 70 anos de escrita.

Sem dúvida, uma ótima forma de se introduzir no lirismo do autor que redesenhou os limites da linguagem e dos sentidos.

A sua brincadeira com as palavras é capaz de fazer até o mais duro dos leitores entrar em estado de contemplação e de fascínio pela linguagem tão envolvente quanto simples. Surpreendente simples, diga-se.

Manoel de Barros era um erudito, no entanto, não deixava esse lado transparecer com tanta frequência em seus trabalhos. Fazia questão de assumir algumas identidades, personas, inclusive do ser ignorante, para compor sua poesia.

“Meu quintal é maior que o mundo”, sem dúvida, é um clássico da poesia brasileira e merece estar na prateleira de todos os amantes dessa nobre e milenar arte.

Quer presentear alguém especial? Manoel de Barros é uma ótima opção.

8. Eu, de Augusto dos Anjos

livro eu

Os versos mais amados e odiados da literatura brasileira. Estamos diante de um poeta polêmico, que no seu tempo chocou a crítica literária com o lançamento de seu primeiro livro “Eu”.

Augusto dos Anjos ficou conhecido por sua poesia antilírica. Ou seja, era dado em não usar expressões consideradas poéticas.

Despertava ojeriza por isso pois se atrevia, em um mundo de Olavo Bilac, a usar palavras que fugiam dos vocábulos pomposos e abstrusos que dominavam o cenário da poesia de então.

No entanto, na mesma medida que despertou reação raivosa, obteve aceitação por parcela expressiva do público leitor, cansado do estilo que predominava até sua entrada no meio literário.

“Eu” foi inovador, impactante, um tapa na cara, um frescor no mundo da poesia brasileira e que chegou sem pedir licença, deixando sua marca indelével no tempo.

Além da questão do estilo, Augusto dos Anjos incomodou e impressionou pela temática de suas obras.

Era um poeta com uma visão extremamente angustiante da vida. Angústia em relação a tudo, da matéria ao cosmo. Deus não existe, muito menos esperança. Apenas angústias, questões existenciais e a ciência.

Considerando que o livro data de 1912, é possível compreender o alvoroço que causou à época e as polêmicas que levantou.

Contudo, o livro não vale a pena apenas pela relevância histórica. Os poemas são de altíssimo nível e saborosíssimos de ler. Fãs de João Cabral de Melo Neto, um “herdeiro” de seu estilo, certamente vão apreciar este e outros trabalhos do poeta.

9. Mensagem, de Fernando Pessoa

livro mensagem

Obra publicada um ano antes da morte daquele considerado o maior poeta português de todos os tempos (ou em pé de igualdade com Camões): Fernando Pessoa.

A obra reúne 44 poemas e tem como foco a história de Portugal. Os leitores se deparam com versos que retratam os anos de glória dos lusitanos e o período de decadência representada pela época vivida pelo autor.

Fernando Pessoa, neste volume, cuida de exaltar Luiz Vaz de Camões, assim como outros símbolos heroicos do passado.

Publicado em 1934, “Mensagem” de Fernando Pessoa foi o vencedor do Prêmio Antero de Quental.

10. Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles

livro romanceiro da inconfidencia

Essa lista de livros de poesia não poderia ficar completa sem “Romanceiro da inconfidência mineira” da poetisa, escritora, cronista, jornalista, pintora e professora Cecília Meireles.

Sim, superlativa, assim como seus poemas transbordantes de sentimentalismo e musicalidade. “Romanceiro da Inconfidência” é considerado por muitos como sua obra-prima e também a mais ambiciosa.

Meireles se propõe a narrar os eventos desse importante, heroico e trágico movimento eclodido em Minas Gerais e que teve como bandeira Libertas quae sera tamen, “Liberdade ainda que tardia”, uma tentativa fracassada de promover a emancipação da região de Minas Gerais do poder do Império brasileiro de então.

A partir do seu ponto de vista e subjetividade, Cecília Meireles proporciona aos leitores um longo e belo relato desse capítulo da história do Brasil em forma de versos. Neste livro, são vários poemas dedicados a descrever passagens específicas do movimento para, juntos, formar uma obra, uma narrativa coesa.

O resultado é simplesmente a melhor obra literária já feita sobre o tema e que continua a encantar e despertar interesse passado décadas de seu primeiro lançamento.

11. Sobre o amor, de Charles Bukowski

livro sobre o amor

Charles Bukowski é um autor norte-americano conhecido por livros que abordam o universo do “baixo-clero” com uma linguagem sem medo de ser taxada de grosseira, libertina, chula.

Seus temas giram em torno de sexo, bebidas e vagabundagem, mas em “Sobre amor” ele revela que até um “velho safado” sabe amar.

Nesta obra, fala de diferentes tipos de amor, como o paternal. No entanto, seus poemas nunca enveredam para o romantismo bobo, mas para um amor sincero e autêntico ao estilo Bukowski: palavras obscenas junto a outras tantas tão poéticas quanto poderosas.

Se você nunca leu Bukowski, não sabe o que está perdendo!

12. Flores do mal, de Charles Baudelaire

livro as flores do mal

Outro escritor que expressa o mundo que vive e sente sem meias-palavras, trazendo aos leitores relatos vívidos de uma realidade regada a álcool, suor e noites boêmias.

Charles Baudelaire é o poeta da marginalidade, da paixão, do sexo. Fala constantemente da morte para exaltar a vida e todo o amor que carrega.

Lendo os versos de Baudelaire, é possível tocar e sentir seu mundo de prostituição, homens errantes, garrafas vazias, becos escuros e sarjetas à espera de almas desafortunadas e inconsequentes, tentando esquecer seus dias de realidade sufocante e insuportável.

“Flores do mal” é, sem dúvidas, um dos maiores clássicos da literatura mundial, marcou gerações e se trata de leitura obrigatória para todos os amantes de poesia.

Gostou da nossa seleção de livros de poesia?

Os livros (tanto os de poesias quanto os demais) abrem um novo universo diante de nossos olhos. Tanto uma coletânea de poemas quanto poesias inéditas ou avulsas, a verdade é que a literatura é sempre encantadora e especial.

Se você gostou da nossa seleção, não hesite em navegar pelo site e conferir mais conteúdos relacionados. Até a próxima!

Milhares de Livros em Promoções Diariamente na Amazon! Se você ama ler, não pode perder.